quinta-feira, 30 de abril de 2009

Só uma diferença de perspectiva


Quantas vezes nos encantamos pelo rótulo ou pela propaganda... e quando vamos analisar direito, a realidade é outra completamente diferente e inviável?

"Nem tudo que reluz é ouro". Hehehe!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Gesso

Por: Manuel Bandeira


Esta minha estatuazinha de gesso, quando nova

- O gesso muito branco, as linhas muito puras -

Mal sugeria imagem de vida

(Embora a figura chorasse).

Há muitos anos tenho-a comigo.

O tempo envelheceu-a, carcomeu-a,

manchou-a de pátina amarelo-suja.

Os meus olhos, de tanto a olharem,

impregnaram-na da minha humanidade

irônica e tísico.

Um dia mão estúpida

inadvertidamente a derrubou e partiu.

Então ajoelhei com raiva, recolhi aqueles

tristes fragmentos, recompus a figurinha

que chorava.

E o tempo sobre as feridas escureceu ainda

mais o sujo mordente da pátina...

Hoje esse gessozinho comercial

é tocante e vive, e me fez agora refletir

Que só é verdadeiramente vivo o que já sofreu.


*Imagem: Busto Irene Vilar

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Você tem muitos problemas?



Certa ocasião, um homem, ao ver tanta injustiça, miséria e sofrimento no mundo ajoelhou-se diante do altar e suplicou a Deus: “Pai, faça com que a humanidade mude”!
Passarem-se meses, anos e nada da humanidade mudar efetivamente.
Frustrado, voltou ao altar e suplicou:
“Pai, então faça que o meu país mude”!
Passaram-se anos e nada de seu país mudar.
Angustiado por sua prece não ser atendida novamente, suplicou a Deus: “Então, faça com que a minha família mude”!
Anos se passaram e nada também de sua família mudar.
Mais conformado pediu ao Pai: “Então, peço que pelo menos eu mude”!

Moral da estória: Aprenda a ser modesto. Reconheça que você não tem condições de modificar as pessoas. Saia da ilusão de querer “salvar” a humanidade, as pessoas. Ninguém tem o poder de mudar o outro se este se recusa a mudar. Essa afirmativa pode parecer óbvia para muitos. No entanto, nas atitudes das pessoas, muitos entram na onipotência de achar que é capaz de mudar a todos (marido, esposa, filho, parentes, amigos, etc.), apesar de estes se recusarem a querer se modificar.

Entram na ilusão, por exemplo, de achar que irão fazer o namorado sair do vício da bebida, das drogas, ou mudar o seu casamento se tiverem um filho.
A meu ver, impotência e onipotência são duas faces de uma mesma moeda. Note que quando você entra na onipotência (“tudo posso”), mais cedo ou mais tarde irá cair na impotência (“não sou capaz de nada”).
São os extremos de uma mesma vibração. Portanto, o saudável é buscar o caminho do meio (o caminho do sábio). Ou seja, se sentir potente (não onipotente ou impotente), capaz, respeitando seus limites e os dos outros; caso contrário, irá se frustrar, se infelicitar.

Percebo também em algumas pessoas - aquelas que estão sempre cheias de problemas -, que muitas têm um conceito equivocado de ajuda, vindo da cultura judaico-cristã. Aprendemos nessa cultura que “ajudar” é sermos piedosos (ter pena, dó das pessoas), ao invés de termos compaixão (é compreender, mas não ter pena das pessoas).
No meu entender, piedade estimula o coitadismo, o vitimismo nas pessoas e, com isso, subtrai o poder pessoal (capacidade, potencial de crescimento e realização) delas. Quando você tem pena de uma pessoa, está vendo-a como um ser “incapaz”, desrespeitando sua capacidade, seu potencial. Se tiver “pena” de todo mundo, lembre-se de que com isso você está estimulando, fomentando também a dependência, a subserviência, em vez de estimular as pessoas a serem autônomas, donas de si mesmas, resgatando sua auto-estima, sua dignidade.

Certa vez, vi na internet um vídeo com uma entrevista de uma vítima da talidomida (medicamento sedativo e antiinflamatório especifico para mulheres grávidas, fabricado por um laboratório multinacional na década de 60, que provocou em muitos países o nascimento de crianças com deformações físicas - no caso da vítima entrevistada se tratava de um homem brasileiro que só tinha os braços, não tinha os antebraços e nem as pernas) .
Apesar de sua deficiência física acentuada, ele fazia tudo o que uma pessoa normal faz (trabalhar, namorar, andar a cavalo, laçá-lo, se vestir, cozinhar, etc, sem precisar de ajuda). Ele disse à jornalista que “deficiente não é aquele que não tem braços e pernas, e sim aquele que tem braços e pernas, mas vive reclamando da vida, é um viciado em drogas que rouba, mata. E que a verdadeira força não está nos braços e nas pernas, mas na mente e na força de vontade”.
Portanto, a meu ver, a verdadeira ajuda não é fazer algo pelas pessoas, mas dar-lhes a oportunidade que façam, descubram sua própria força, sua auto-estima, sua dignidade. Ajudar verdadeiramente é ensinar uma pessoa a caminhar com as próprias pernas, libertando-a da ilusão limitadora do comodismo.

Observe que muitos de seus problemas não são seus, mas que você pegou dos outros porque cultiva a crença que tem a “obrigação” de salvar as pessoas, de resolver os seus problemas.

segunda-feira, 20 de abril de 2009



Se você presenteia uma rosa e alguém te retribui o agradecimento com um galho de espinhos, não se preocupe, faz parte da vida o saber conviver com todo tipo de ignorância.

De louco, todo mundo tem (pelo menos) um pouco.


"Nesta direção", disse o Gato, girando a pata direita, "mora um Chapeleiro. E nesta direção", apontando com a pata esquerda, "mora uma Lebre de Março. Visite quem você quiser quiser, são ambos loucos."

"Mas eu não ando com loucos", observou Alice.

"Oh, você não tem como evitar", disse o Gato, "somos todos loucos por aqui. Eu sou louco. Você é louca".

"Como é que você sabe que eu sou louca?", disse Alice.

"Você deve ser", disse o Gato, "Senão não teria vindo para cá."

(Trecho do livro: Alice no País das Maravilhas)


Eu concordo... o duro é que tem gente que exagera né... rs

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Muito barulho... para nada?


“As pessoas que fazem pouco barulho são perigosas.”
Jean de la Fontaine

Já ouvi essa frase dita das mais diversas formas... e particularmente acho ridícula.

Porque é que hoje em dia as pessoas estãos sempre tão preocupadas em pegar as outras "no pulo"?
Ficam traçando estratégias de convivência... como diz o meu pai: "Você tem que almoçar o seu oponente para não virar a janta dele".

Meu Deus! Que mundo é esse em que se tem que andar sempre atento, com medo de levar uma rasteira do outro e então já vai se preparando para dar a rasteira antes?

Por favor pare este mundo, pois eu quero descer!

Eu me recuso a viver assim.

É por isso que eu sempre faço muito barulho, faço mesmo. Porque eu sou transparente e todos sabem o que eu penso, o que eu quero, o que eu espero, o que eu faço. Se eu gosto de uma pessoa, eu demonstro, eu me dedico, eu apóio, eu convivo, eu compartilho.
Mas se essa pessoa me decepciona, ou pior: me sacaneia... aí eu me vingo, eu desprezo, eu jogo tudo na cara, eu xingo, então eu corto da minha vida e esqueço que ela existiu, e até a perdôo depois disso tudo... Simples assim.

Mas eu faço barulho, faço muito barulho. Porque eu nunca tive a intenção de ser perigosa e não sou.

Eu sou simplesmente honesta e espero que também sejam comigo.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

L.I.V.R.O. - Millôr Fernandes



O meu favorito!!!!!!



Existe entre nós, muito utilizado, mas que vem perdendo prestígio por falta de propaganda dirigida, e comentários cultos, embora seja superior a qualquer outro meio de divulgação, educação e divertimento, um revolucionário conceito de tecnologia de informação.
Chama-se de Local de Informações Variadas, Reutilizáveis e Ordenadas – L.I.V.R.O.

L.I.V.R.O. que, em sua forma atual, vem sendo utilizado há mais de quinhentos anos, representa um avanço fantástico na tecnologia. Não tem fios, circuitos elétricos, nem pilhas. Não necessita ser conectado a nada, ligado a coisa alguma. É tão fácil de usar que qualquer criança pode operá-lo. Basta abri-lo!

Cada L.I.V.R.O. é formado por uma seqüência de folhas numeradas, feitas de papel (atualmente reciclável), que podem armazenar milhares, e até milhões, de informações. As páginas são unidas por um sistema chamado lombada, que as mantém permanentemente em seqüência correta. Com recurso do TPO – Tecnologia do Papel Opaco – os fabricantes de L.I.V.R.O.S podem usar as duas faces (páginas) da folha de papel. Isso possibilita duplicar a quantidade de dados inseridos e reduzir os custos à metade!

Especialistas dividem-se quanto aos projetos de expansão da inserção de dados em cada unidade. É que, para fazer L.I.V.R.O.S com mais informações, basta usar mais folhas. Isso porém os torna mais grossos e mais difíceis de ser transportados, atraindo críticas dos adeptos da portabilidade do sistema, visivelmente influenciados pela nanoestupidez.

Cada página do L.I.V.R.O. deve ser escaneada opticamente, e as informações transferidas diretamente para a CPU do usuário, no próprio cérebro, sem qualquer formatação especial. Lembramos apenas que, quanto maior e mais complexa a informação a ser absorvida, maior deverá ser a capacidade de processamento do usuário.

Vantagem imbatível do aparelho é que, quando em uso, um simples movimento de dedo permite acesso instantâneo à próxima página. E a leitura do L.I.V.R.O. pode ser retomada a qualquer momento, bastando abri-lo. Nunca apresenta "ERRO FATAL DE SENHA", nem precisa ser reinicializado. Só fica estragado ou até mesmo inutilizável quando atingido por líquido. Caso caia no mar, por exemplo. Acontecimento raríssimo, que só acontece em caso de naufrágio.

O comando adicional moderno chamado ÍNDICE REMISSIVO, muito ajudado em sua confecção pelos computadores (L.I.V.R.O. se utiliza de toda tecnologia adicional), permite acessar qualquer página instantaneamente e avançar ou retroceder na busca com muita facilidade. A maioria dos modelos à venda já vem com esse FOFO (softer) instalado.

Um acessório opcional, o marcador de páginas, permite também que você acesse o L.I.V.R.O. exatamente no local em que o deixou na última utilização, mesmo que ele esteja fechado. A compatibilidade dos marcadores de página é total, permitindo que funcionem em qualquer modelo ou tipo de L.I.V.R.O. sem necessidade de configuração. Todo L.I.V.R.O. suporta o uso simultâneo de vários marcadores de página, caso o usuário deseje manter selecionados múltiplos trechos ao mesmo tempo. A capacidade máxima para uso de marcadores coincide com a metade do número de páginas do L.I.V.R.O.

Pode-se ainda personalizar o conteúdo do L.I.V.R.O., por meio de anotações em suas margens. Para isso, deve-se utilizar um periférico de Linguagem Apagável Portátil de Intercomunicaçã o Simplificada – L.A.P.I.S.

Elegante, durável e barato, L.I.V.R.O. vem sendo apontado como o instrumento de entretenimento e cultura do futuro, como já foi de todo o passado ocidental. São milhões de títulos e formas que anualmente programadores (editores) põem à disposição do público utilizando essa plataforma.

E, uma característica de suprema importância: L.I.V.R.O. não enguiça!

Você é forte

Este vídeo é emocionante... e nos faz refletir: todos podemos superar nossos próprios limites, se quisermos.

video

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Sobre Esquizofrenia...


Pode ser útil... muitas vezes conhecemos pessoas com este problema, e não sabemos identificar. É mais sério do que pode parecer, acreditem.


Esquizofrenia

Esquizofrenia é uma doença em que a pessoa sofre de uma alteração ou desvio de personalidade ou seja a sua personalidade está alterada.

Isto é um problema psicológico que apenas a medicação tem ajudado. No entanto há que compreender melhor o problema para assim se poder encontrar mais e melhores soluções.

Caracterizada por uma dissociação das funções psíquicas e pela perda de contacto com o mundo exterior ela afecta não só a pessoa mas também toda a sua família e todas as pessoas à sua volta.

Um dos seus primeiros sintomas é a diminuição da afectividade, quando não a sua total supressão ou ausência, existindo um desligamento do mundo por parte do doente, que se volta sobre si mesmo (semelhante em parte ao autismo).

As funções intelectuais são igualmente perturbadas o que acarreta rapidamente a alienação de tudo o que se passa à sua volta.

Muitas destas pessoas passaram por períodos de depressão, stress ou conflitos antes de entrarem nesta situação o que leva a concluir que estes problemas desencadearam ou agravaram a esquizofrenia.

A tensão e o stress nos quais a pessoa esteve envolvida foram assim desencadeantes da situação o que leva a crer que todas as técnicas que aliviem a pessoa das tensões e stress nas quais ela esteve envolvida são bem vindas.

Mas, uma vez que a pessoa vive sob stress, medos, pânicos e alterações comportamentais contínuos, tudo aquilo que lhe traga tranquilidade ou que a relaxe será igualmente bem vindo.

Só quando a pessoa está mais tranquila e estável é que se pode pensar em fazer um trabalho mais profundo.

Assim o objectivo principal seria dar mais tranquilidade à pessoa para assim se poder fazer um trabalho de relaxamento para que a pessoa comece de novo a deixar de ter medos e pânicos das coisas e pessoas que existem à sua volta levando-a a sair do seu "autismo".

Desta forma deveriam ser tentadas outras alternativas em complemento com as técnicas usadas para assim se poder fazer um trabalho mais global e abrangentes e dessa forma se tentar dar uma maior ajuda a estas pessoas o que seria benéfico não só para elas mas para toda a sua família.

Hoje existe uma compreensão maior acerca do que é e do que fazer em relação à esquizofrenia, mas infelizmente fora da medicina.

Uma vez que essa informação existe apenas fora da medicina, os doentes e a sua família muitas das vezes acabam por não beneficiar de outras soluções por vezes muito eficazes e que em muitos casos a podem resolver ou pelo menos melhorar significativamente.


José Carlos Santiago

http://www.jcsantiago.info/esquizofrenia.html

~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Causas:

Embora a causa específica da esquizofrenia seja desconhecida, a perturbação tem, nitidamente, uma base biológica.

Sintomas:

A esquizofrenia começa mais frequentemente entre os 18 e os 25 anos nos homens e entre os 26 e os 45 anos nas mulheres. Principais sintomas:

- Os delirios

- Alucinações

- Comportamento alterado

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

USO DE CANABIS LEVA A CRISES PSICÓTICAS

Há indícios que apontam para a possibilidade de o consumo de canabis poder provocar crises psicóticas e já foi demonstrado que o contato com as drogas favorece o aparecimento da esquizofrenia quando já existe predisposição para a doença. Outros estudos revelam, porém, que os doentes têm, por motivos ainda pouco claros, maior tendência para o consumo de tóxicos. Independentemente de quem tenha razão, há uma certeza: consumir droga piora o prognóstico da doença, o que levou as Nações Unidas a pedirem o fim da tolerância dos países mais desenvolvidos em relação ao consumo de algumas substâncias, como o álcool ou a canabis, considerado aceitável na maior parte das nações. E mesmo a canabis é legal e considerada inofensiva em alguns países. Muitos especialistas defendem que a possibilidade de sofrer de alucinações ou pensamentos delirantes que não se ajustam à realidade – sintomas da esquizofrenia – aumentam em quem consome regularmente drogas. Estes estudiosos não duvidam de que as drogas precipitam episódios psicóticos. Outros defendem que é a doença que favorece o consumo.

http://psikiatrices.blogspot.com/2007/10/esquizofrenia.html

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Feliz Aniversário para mim!!!



Sim, o post de hoje é totalmente narcisista. Mas o que são arianos, entre outras coisas que muitos não compreendem, senão também narcisistas? Hahahaha
Sim, hoje estou muito feliz! Não é só porque é o meu aniversário, e eu estou completando 26 anos de idade. Sim, 26 anos! Ahhhh!
Mas estou feliz especialmente porque para mim esta data simboliza o término de muitos desafios que superei, e é claro, o início de novos que já tenho em vista! Enfim.. para mim, tudo é motivo para comemorar! A vida é uma razão de celebração! É a nossa oportunidade de aprender, ensinar, realizar, se emocionar, compartilhar.... E hoje todas as pessoas que não me acrescentam nada, não estão mais na minha vida. Quem hoje pode partilhar comigo este dia, pode ter certeza, são as pessoas que eu respeito, admiro, e sinto alegria em chamar de AMIGO.

Hoje é dia do meu aniversário

Quisera eu reencontrar todos os meus amigos
Aqueles que passaram pela minha vida por um segundo
Mas também aqueles que conseguiram se eternizar.
Ou na vida
Ou no coração.

Hoje é dia do meu aniversário
Quisera eu voltar a ser criança
Resgatar a inocência de experimentar tudo:
Das relações aos riscos e
Resgatar a coragem de fazer, dizer e viver tudo que se tem vontade
Simplesmente por sentir vontade.

Hoje é dia do meu aniversário

Quisera eu voltar o tempo para ter nascido novamente,
Eu teria feito tudo de novo e teria a mesma família, os mesmos pais, a mesma irmã.

Hoje é dia do meu aniversário
Quisera eu ter mais dois braços para abraçar-me
E dizer: "Como vale a pena ser você".


Que narcisa, né? Mas eu estou feliz! Deixa eu! rsrsrs

terça-feira, 7 de abril de 2009

7 de abril - Dia Internacional da Saúde



Nem tenho muito o que falar sobre esse dia... estamos cansados de ler e ouvir falar sobre a importância dos bons hábitos para nossa saúde: fazer exercícios regularmente, ter uma dieta equilibrada (corpo são, mente sã), os cuidados com a segurança no dia-a-dia. Já estamos carecas de saber disso tudo. Aí vai do bom senso de cada um seguir ou não, se gosta de si ou não. Eu procuro equilibrar isso, mas também cometo estravagâncias às vezes... hehehe
Mas o que me animou neste dia foi que a empresa em que trabalho montou uma semana todinha (ou melhor, só até quinta-feira) com eventos que estimulam essas práticas. A Ginástica Laboral, esta semana vem com exercícios diferentes: Dança Indiana (como suei hoje!), Aula de Yoga, Aula de Tai-chi-chuan, Palestras Diversas, Espaço Zen... Adorei!
Assim me distraiu do trabalho que está pipocando (minha colega de férias e eu sozinha pra cuidar de tudo) e me evitou muito estresse.
Não é que isso funciona mesmo?
Melhor que isso, só amanhã que tem festa! =D

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Você é substituível !?!?!?!


Na sala de reunião de uma multinacional o diretor nervoso fala com sua equipe de gestores.

Agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um ameaça: "ninguém é insubstituível".

A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao silêncio.

Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça. Ninguém ousa falar nada.
De repente um braço se levanta e o diretor se prepara para triturar o atrevido:
- Alguma pergunta?
- Tenho sim. E o Beethoven?
- Como? - O encara o diretor confuso.
- O senhor disse que ninguém é insubstituível e quem substituiu o Beethoven?
Silêncio.

Ouvi essa estória esses dias contada por um profissional que conheço e achei muito pertinente falar sobre isso.
Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da organização e que, quando sai um, é só encontrar outro para por no lugar.

Quem substitui Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Ghandi? Frank Sinatra? Garrincha? Santos Dumont? Monteiro Lobato? Elvis Presley? Os Beatles? Jorge Amado?
Pelé? Paul Newman? Albert Einstein? Picasso? Zico?

Todos esses talentos marcaram a História fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem, ou seja, fizeram seu talento brilhar. E, portanto, são sim insubstituíveis.
Cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado para alguma coisa.

Está na hora dos líderes das organizações reverem seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipe focando no brilho de seus pontos fortes e não utilizando energia em reparar 'seus gaps'.

Ninguém lembra e nem quer saber se Beethoven era surdo, se Picasso era instável, Caymmi preguiçoso, Kennedy egocêntrico, Elvis obsessivo...
O que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus talentos.
Cabe aos líderes de sua organização mudar o olhar sobre a equipe e voltar seus esforços em descobrir os pontos fortes de cada membro.

Fazer brilhar o talento de cada um em prol do sucesso de seu projeto.
Se seu gerente/coordenador, ainda está focado em 'melhorar as fraquezas´ de sua equipe corre o risco de ser aquele tipo de líder que barraria Garrincha por ter as pernas tortas, Albert Einstein por ter notas baixas na escola e Beethoven por ser surdo. E na gestão dele o mundo teria perdido todos esses talentos.

Quando o Zacarias dos Trapalhões faleceu, ao iniciar o programa seguinte, o Dedé entrou em cena e falou mais ou menos assim: "Estamos todos muitos tristes com a partida de nosso irmão Zacarias... e hoje, para substituí-lo, chamamos:.. Ninguém... pois nosso Zaca é insubstituível"


Portanto nunca esqueça: Você é um talento único.....com toda certeza ninguém te substituirá.


"A vida é curta, quebre regras, perdoe rapidamente, beije demoradamente, ame verdadeiramente, ria incontrolavelmente, e nunca deixe de sorrir, por mais estranho que seja o motivo. A vida pode não ser a festa que esperávamos, mas enquanto estamos aqui, devemos aproveitá-la ao máximo."


- Autor Desconhecido


quarta-feira, 1 de abril de 2009

Don't stop me now




Depois das mazelas passadas, das reflexões, e de ter me livrado de muita gente falsa e que me atrapalhava, estou no meu melhor momento, não sentia isso havia muito tempo. Hoje eu sei exatamente quem eu sou e o que eu quero. E só tenho uma coisa a declarar:


Don't Stop Me Now - Queen


Tonight I'm gonna have myself a real good time
I feel alive
And the world is turning inside out Yeah!
And floating around in ecstasy
So don't stop me now
Don't stop me

'Cause I'm having a good time (having a good time)
I'm a shooting star leaping through the sky
Like a tiger defying the laws of gravity
I'm a racing car passing by like Lady Godiva
I'm gonna go go go
There's no stopping me
I'm burning through the sky Yeah!
Two hundred degrees
That's why they call me Mister Fahrenheit
I'm trav'ling at the speed of light
I wanna make a supersonic man out of you

Don't stop me now
I'm having such a good time
I'm having a ball
don't stop me now
If you wanna have a good time just give me a call
Don't stop me now ('cause I'm havin' a good time)
Don't stop me now (yes I'm havin' a good time)
I don't want to stop at all

I'm a rocket ship on my way to Mars
On a collision course
I am a satellite I'm out of control
I am a sex machine ready to reload
Like an atom bomb about to
Oh oh oh oh oh explode

I'm burning through the sky Yeah!
Two hundred degrees
That's why they call me Mister Fahrenheit
I'm trav'ling at the speed of light
I'm gonna make a supersonic woman of you

Don't stop me, don't stop me
Don't stop me, hey hey hey!
Don't stop me, don't stop me ooh ooh ooh (I like it)
Don't stop me, don't stop me
Have a good time, good time
Don't stop me, don't stop me Ah

I'm burning through the sky Yeah!
Two hundred degrees
That's why they call me Mister Fahrenheit
I'm trav'ling at the speed of light
I wanna make a supersonic man out of you

Don't stop me now
I'm having such a good time
I'm having a ball
don't stop me now
If you wanna have a good time just give me a call
Don't stop me now ('cause I'm havin' a good time)
Don't stop me now (yes I'm havin' a good time)
I don't want to stop at all


Adoro essa música, mas ontem caminhando sozinha ela me fez sentir muito melhor depois que espantei tudo de ruim da minha vida... hehehehe!