quinta-feira, 2 de julho de 2009

Ouvindo a voz interior


Sabe quando acontece de vir uma vontade que não sabemos de onde vem junto com uma certeza de algo? E quando a vida vai nos dando as pistas necessárias para que acreditemos ainda mais nessa sensação? Pois é, essas sensações são mensagens que nossa alma traz sobre nossas missões e caminhos para encontrarmos nossa felicidade.

Ao ver o filme “O Som do Coração”, fiquei impressionada ao perceber como temos cada vez mais exemplos de que nossa alma se comunica conosco o tempo todo. No filme, o menino sente que precisa fazer sua música porque, através dela, vai realizar seu objetivo. Sua mãe também sempre sentiu uma voz que lhe dizia que seu filho estava vivo, apesar de não haver nada concreto que comprovasse isso. Pois é, muitas vezes as pessoas demoram muito tempo de suas vidas para acreditar que essas sensações são verdadeiras. Afinal, não são algo palpável, não vêm de ninguém nem de nada externo à própria pessoa.

Ao nos deixarmos levar pelas sensações, nos permitimos observar que no meio das incertezas, das situações mais inusitadas, sempre há um aprendizado a ser entendido e absorvido por nós. Basta nos abrirmos a essas mensagens da alma.

Provavelmente você já vivenciou uma situação em que sua intuição, sua voz interior, já tinha passado informações a respeito deste acontecimento ou pessoa. Provavelmente, você não deu importância e achou que fosse coisa de sua cabeça, causada pela sua grande criatividade.


Nós não precisamos de muito para ser felizes e nos encontrar dentro de nós mesmos. Precisamos apenas nos permitir sentir a vida em nós, assim como seus fluxos de energia que fluem em nós.

4 comentários:

Altavolt disse...

Doce Sweet: O instinto, ou sexto sentido, pode ser muito poderoso. É muito bom que saibamos ouvi-lo e respeitá-lo. Tais sensações abstratas devem nos ajudar a trilhar melhor os nossos caminhos nesse mundão de meu Deus. Grande sensibilidade a sua! Um beijo!

maria disse...

"Provavelmente você já vivenciou uma situação em que sua intuição, sua voz interior, já tinha passado informações a respeito deste acontecimento ou pessoa. Provavelmente, você não deu importância e achou que fosse coisa de sua cabeça, causada pela sua grande criatividade."

Vc escreveu esse trecho pra mim? :)

O problema, ST, é que a minha intuição já deu pistas óbvias sobre coisas muito ruins. Uma aconteceu (acidente de carro); outra, eu, de certa maneira evitei que algo acontecesse (naufrágio). E outras mais, de menor importancia. Coincidência? Não sei. Quem vai saber. Mas, por ser sempre relacionadas a coisas ruins, eu tento me afastar ao máximo da minha intuição. Acho que é auto proteção, seu lá, não sei lidar com isso. E assim, acabo me afastando das boas também. A verdade é que me assusto com isso. De verdade.

Sweet Toxicant disse...

Eu nunca tive intuição para tragédias... ao menos não que eu me lembre.
Mas muitas vezes eu consigo visualizar o caminho correto, não acredito, tomo outro caminho e literalmente me lasco... rsrs.
E nas vezes que eu resolvi seguir minha intuição, fui feliz.
Acho que é algo que precisa de treino... e acreditar, tentar... Eu não tenho medo de quebrar a cara. E já quebrei muito, mas eu tento aquilo que eu acho ser melhor. Isso tem lá seus riscos, mas com o tempo vamos aprendendo a errar menos...

∑S∑ disse...

Vc escreveu esse trecho pra mim? :)

(2)