quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Viva, e depois esqueça

A capacidade de esquecer é o que existe de mais precioso sobre a face da
terra, sob as nossas faces. Amar é sem dúvida mais magnânimo, mas não é tão
vital quanto o esquecimento: é ele que nos mantém vivos. O amor torna a
paisagem mais bonita, mas é o bálsamo curativo do esquecimento que nos faz
ter vontade de abrir os olhos para vê-la. A paixão empresta um sentido
quase mítico aos dias, mas é esquecer da excruciante tristeza perante a
morte dela que nos torna aptos para nos encantarmos novamente.

Já esqueci amores inesquecíveis e sobrevivi a paixões que, tinha convicção,
me matariam se terminassem. Às vezes cruzo na rua com fantasmas que já
foram bem vivos na minha história e não deixo de sentir uma certa
melancolia por perceber que aquele rosto um dia cheio de significado se
tornou tão relevante quanto um outdoor de paste de dente, por não conseguir
sequer recordar o que me moveu em direção a ele: algumas pessoas
simplesmente são apagadas da memória como filmes desimportantes. Sem
maldade, apenas esmaecem até desaparecer. É impossível nos lembrar de todos
os que passaram por nós ou sermos lembrados por todos: gente demais, espaço
de menos. Da mesma forma que minha história está repleta de coadjuvantes e
figurantes que, irrefletidamente, se auto-proclamavam protagonistas (e hoje
foram reduzidos a um punhado de reminiscências engraçadas), eu devo ser a
personagem cômica da história de algum ex: ninguém se esquiva da
experiência constrangedora de bancar o bobo da corte no reino de alguém.

Mas essa morte não vem sem um certo pesar. É ruim notar que já não
significamos praticamente nada para quem importou tanto. Na verdade é
dolorido ser olvidado por qualquer um (golpes no ego dóem independente de
quem os desfira): não é fácil encarar que não somos insubstituíveis nem
vitais e que a nossa saída displicente abre uma possibilidade de entrada
tão desejada por outros. Mas só nos desenroscamos e seguimos nosso rumo
natural, em frente, quando eliminamos alguns fatos e seres que, caso
contrário, nos prenderiam aos emaranhantes aguapés de recordações e
sentimentos tão marcantes quanto inúteis.

"Há pessoas que ficam doendo com a lembrança de outra pessoa, entra ano,
sai ano, virando e revirando o caleidoscópio, olhando como caem e de dispõe
as cores e os cristais do sofrimento" (Paulo Mendes Campos). O passado deve
ser mantido no lugar dele e não trazido pregado as costas como um fardo com
os erros cometidos e alegrias nunca mais revividas. Para ser feliz é
necessário pouca coisa além se livrar do excesso de carga e esquecer as
coisas certas. É útil também jamais perder de vista um detalhe, afixá-lo no
espelho do banheiro, repetir como um mantra: absolutamente nada é pra
sempre, nem sentimentos que parecem ser (a vida seria um lago estagnado
se só existisse o perene). Nunca mais haverá amor como aquele? Ótimo, porque
o novo é tão imenso que seria um desperdício se algo se repetisse.
Todo mundo passa. E é bom que seja assim.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

As fases do amor

Mais um texto sobre o amor... eu, uma romântica de carteirinha, penso sempre sobre este tema.. ao mesmo tempo em que não o entendo completamente... e já sabia que andava pecando em algumas coisas ultimamente.. eu li este texto e ele me esclareceu muuuitas coisas. Achei super bacana e por isto estou compartilhando.


As fases do amor::
Elisabeth Cavalcante ::

O amor passa por fases distintas, como muitas outras coisas que fazem parte da vida. Assim que se inicia, ele é como um conto de fadas, nada parece estar fora do compasso, tudo flui de modo harmonioso e perfeito. Mas, como a perfeição é um ideal que só existe em nosso desejo, à medida que começam a se desfazer as ilusões e fantasias criadas em nossa mente, o pólo contrário começa a surgir. Visto que a mente é sempre dual e se baseia nos opostos, o encantamento inicial é substituido pela decepção e um sentimento de que nossos sonhos foram traidos. Além disso, as qualidades que enxergávamos no outro, passam para o segundo plano e os defeitos assumem uma posição de destaque.
Se nosso lado sensato consegue predominar, ultrapassamos esta etapa e passamos a enxergar nosso par exatamente como ele é, um ser humano que, assim como nós, vivencia acertos e tropeços. Aqueles que, ao contrário, ainda se encontram imaturos, insistirão em buscar o ser perfeito que, acreditam, virá realizar todos os seus sonhos. E sentirão muita raiva e frustração ao descobrirem que a pessoa na qual depositaram todas as suas esperanças, não conseguirá realizar os seus desejos.
Amar exige um conhecimento profundo de si mesmo, pois somente deste modo poderemos entender e conhecer outro ser humano. A única possibilidade de alcançar equilibrio na relação com o outro é aceitá-lo como é e mostrar-se sem qualquer disfarce. Somente quando abandonamos a fase da ilusão e vivenciamos o amor de forma madura é que podemos vislumbrar a real dimensão que ele pode assumir, e experimentá-lo como uma das mais gratificantes experiências que a vida tem a nos oferecer.

"....O amor é um domingo. Cansado - cansado das falsidades, cansado das máscaras, cansado de mostrar faces feias e não verdadeiras às pessoas, e continuamente reprimindo seu ser - a pessoa quer alguém com quem possa ser ela mesma totalmente - relaxada, à vontade, tranqüila. Assim, se você ama uma pessoa, desde o início, nunca seja não verdadeiro. Se o amor desaparecer, é melhor que o relacionamento seja quebrado. Ele tem que ser quebrado - porque não há qualquer sentido em tal relacionamento. Se a sua verdade for aceita, se você for aceito, somente então este é um amor que vale a pena. Então você cresce através dele.
... Em um simples momento, a pessoa pode mudar completamente. Ela estava muito alegre e pode se tornar muito triste. Exatamente um momento antes ela estava pronta para morrer e no momento seguinte ela está pronta para matá-lo. Mas a humanidade é assim. Isso traz uma profundidade, traz surpresas e um tempero... Caso contrário, a vida seria muito entediante. Tudo isso é belo. Tudo isso são notas de uma grande harmonia. E quando você ama uma pessoa, você ama essa harmonia e aceita tudo que compõe essa harmonia.
Algumas vezes está chovendo, outras vezes o céu está escuro e cheio de nuvens, e outras vezes as nuvens desaparecem e ele fica repleto da luz solar. Algumas vezes é muito frio e outras vezes é muito quente. E exatamente desse mesmo jeito, o clima humano vai mudando, todas as coisas vão mudando. Quando você ama uma pessoa, você ama todas essas possibilidades. Infinitas são as possibilidades e você ama todos os matizes e tons. Assim, seja verdadeiro e ajude-a a ser verdadeira. Então o amor se torna um crescimento. Caso contrário, o amor pode se tornar uma coisa muito venenosa.
Pelo menos, não corrompa o amor. E lembre-se, ele não é corrompido pelo ódio. Ele é corrompido pela falsidade. Ele não é corrompido pela raiva, nunca. Mas ele é destruído por uma pessoa não autêntica, por uma falsa face.
O amor somente é possível quando existe a liberdade de você ser você mesmo, sem qualquer vigilância, sem qualquer restrição. Você simplesmente está fluindo. O que você pode fazer? Quando você está rancoroso, você está rancoroso. Quando as nuvens estão no céu e o sol está brilhando, o que você pode fazer? E se a outra pessoa compreende e ama você, ela aceitará, ela o ajudará a sair das nuvens - porque ela sabe que isto é apenas um clima que vai e vem - estes são apenas humores, são fases passageiras, e por trás dessas fases passageiras está a realidade, o espírito da pessoa, a alma.
Quando você aceita todas essas fases, logo os vislumbres da alma verdadeira começam a acontecer para você.
Continue meditando e faça de seu amor uma meditação também".

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Entusiasmo

Recebi este texto hoje da minha mãe, e ela não sabe o bem que me fez ao enviá-lo. Em alguns assuntos da minha vida, eu estava justamente precisando deste "tapão na orelha". Eu diria que muitos dos tópicos abaixo são justamente os que eu mais tenho dificuldades para administrar, agora até senti o entusiasmo que o título do email sugeria.


Espero que possa ser útil para mais alguém.



Você não sabe como dar os primeiros passos? É fácil!

- Domine o comodismo;
- Faça uma relação das coisas que você precisa vencer;
- Acredite que viver é constantemente começar;- Organize as idéias na cabeça, para administrar bem o seu tempo;
- Preste atenção (no instante presente);
- Aprenda com os insucessos;
- Forme um grupo, tenha amigos, discuta seus pontos de vista;
- Procure inovar (ter visão criativa);
- Evite copiar;
- Arrisque, para conseguir algo novo;
- Seja entusiasmado com a vida, agindo entusiasticamente;
- Acredite na sua capacidade de transformar a realidade;
- Não espere saber tudo para agir. A própria ação desenvolve o saber;
- Passe do plano das lamentações para o plano da ação.
- Não espere a oportunidade chegar!

Os gregos diziam que “a oportunidade tem cabelo só na frente e é careca atrás”. Quem não pegar pela frente nunca mais pegará.
Viva!!! Seja ousado! Liberte seu potencial. Acredite em você! O mundo pertence aos ousados.

Lembre-se: não é o sucesso que traz o entusiasmo.. . é o entusiasmo que traz o sucesso.


quarta-feira, 8 de outubro de 2008

O verdadeiro amor é livre...

Conta uma lenda dos indios Sioux, que uma vez, Touro Bravo, um jovem guerreiro, e Nuvem Azul, a filha do cacique, chegaram de mãos dadas, até a tenda do velho feiticeiro da tribo...

- Nós nos amamos... e vamos nos casar - disse o jovem. E nos amamos tanto que queremos um feitiço, um conselho, ou um talismã... alguma coisa que nos garanta que poderemos ficar sempre juntos... que nos assegure que estaremos um ao lado do outro até encontrarmos a morte. Há algo que possamos fazer?
E o velho emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:

- Tem uma coisa a ser feita, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada... Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte dessa aldeia, e apenas com uma rede e tuas mãos, deves caçar o falcão mais vigoroso do monte... e trazê-lo aqui com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia.
E tu, Touro Bravo - continuou o feiticeiro - deves escalar a montanha do trono, e lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias, e somente com as tuas mãos e uma rede, deverás apanhá-la trazendo-a para mim, viva!

Os jovens abraçaram-se com ternura, e logo partiram para cumprir a missão recomendada... no dia estabelecido, à frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves dentro de um saco.
O velho pediu, que com cuidado as tirassem dos sacos... e viu eram verdadeiramente formosos exemplares...
- E agora o que faremos? - perguntou o jovem.
- Agora - disse o feiticeiro - apanhem as aves, e amarrem-nas entre sí pelas patas com essas fitas de couro... quando as tiverem amarradas, soltem-nas, para que voem livres...

O guerreiro e a jovem fizeram o que lhes foi ordenado, e soltaram as aves...
A águia e o falcão, tentaram voar mas apenas conseguiram saltar pelo terreno.
Minutos depois, irritadas pela incapacidade do vôo, as aves arremessavam-se entre si, bicando-se até se machucar.

E o velho disse:

- Jamais esqueçam o que estão vendo... este é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão... se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se, como também, cedo ou tarde, começarão a machucar-se um ao outro... Se quiserem que o amor entre vocês perdure...voem juntos... mas jamais amarrados.

Lenda dos índios Sioux

A lição principal é saber que somente as pessoas livres serão capazes de amá-lo como você quer e merece. Respeite também as suas vontades e voe em direção às realizações da sua vida. Tenha a certeza que, ao ser livre, você encontrará pessoas felizes que adorarão voar ao seu lado.

Da Felicidade

"Quantas vezes a gente, em busca da ventura,
Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão, por toda parte, os óculos procura
Tendo-os na ponta do nariz!"
(Mário Quintana)

Acho este poeminha de Mário Quintana muito pertinente. Quantas vezes não nos deparamos estando nesta situação?
Achamos que só seremos felizes quando tivermos "aquele" emprego, "aquela" pessoa para amar e ser amado, "aquela" casa dos sonhos, "aquele" carro dos sonhos.
Que seremos mais felizes se estivermos na praia, do que no campo ou na selva de pedra.
Que seremos mais felizes se o chefe não nos importunar mais.
Que seremos mais felizes se comermos lasanha hoje, picanha amanhã, no restaurante mais badalado da cidade.
Que seremos mais felizes se estivermos esbanjando disposição para ir aqui, ali e acolá cercados de pessoas o tempo todo.
Que seremos mais felizes se ganharmos na Mega Sena para dar a volta ao mundo.

Tá, claro que não vou ser hipócrita e dizer que nada disso é bom e que ninguém pode querer essas coisas para si.
Mas, o que devemos aprender é que todas essas coisas não devem ser a razão da nossa felicidade. Pois, enquanto estamos focados procurando essas coisas e nos sentindo infelizes enquanto não as encontramos, perdemos as melhores oportunidades da nossa vida, nas pequenas coisas que passam por nós e não damos valor. E essas pequenas coisas também nos farão felizes.
Precisamos prestar mais atenção ao que temos hoje e que somos felizes com isso.

Porque a felicidade é um caminho, não um destino.

O Amor

Um texto da Martha Medeiros que me fez lembrar de um ocorrido recente na minha vida...


O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina. Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos para você. Ou então fica arrasado porque não foi para praia no final de semana. Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida. O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa. O jeito é direcionar o radar para o norte, sul, leste e oeste. Seu amor pode estar no corredor de um supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro. Pode estar aqui mesmo, no computador, dando o maior mole! O amor está em todos os lugares, você que não procurou direito... O amor é que nem uma sementinha que tem que ser acrescida de muito carinho, respeito e milhares de beijos para crescer forte e saudável. Pode-se perder uma pessoa num instante e algum tempo depois voltar a reencontrá-la, e saiba que se quizer pode recuperar todo o tempo que perderam, pois conquista-se todos os dias, e se o fez uma vez porque não poderá fazê-la novamente? A primeira lição está dada: O amor é onipresente. Agora a segunda: Mas é imprevisível. Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista. Idealizar é sofrer ... Amar é surpreender ...

Autor: Martha Medeiros

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Sinto...

Sinto uma confusão, que me incomoda a cada dia...
Sinto um incômodo, que me entristece a cada dia...
Sinto uma tristeza, que me prende a cada dia...

Sinto uma prisão, que faz querer gritar e romper as amarras que não me deixam chegar aonde quero.

Sinto uma ansiedade, que me faz querer fazer tudo ao mesmo tempo,
e nesse querer eu me perco, pois não consigo fazer nem um décimo de cada coisa que eu quero.

Preciso querer menos, e fazer mais. É melhor eu ter apenas cinqüenta por cento de quereres e realizar cem por cento deles, do que ter cem por cento de quereres e realizar apenas cinqüenta por cento deles...

E no meio desse raciocínio, eu sinto uma confusão, que me incomoda, entristece e me prende.. pois de tudo que quero, é preciso escolher apenas algumas coisas para querer até eu conseguir realizá-los... para só então querer mais...

Não posso ter o controle do Universo...

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

A vida...

Ultimamente sem muitas idéias para escrever, mas mexendo nos meus arquivos antigos encontrei um poema que adoro e que acho que tem muito a ver com o que eu espero da vida e o que eu procuro doar aos que me são caros...


Não sei se a vida é curta ou longa demais para nós,
Mas sei que nada do que vivemos tem sentido
Se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido a vida
É o que faz com que ela não seja nem curta nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira,
Pura...
Enquanto durar.

(Cora Coralina)



Sinto saudades dos tempos em que enxergava as coisas de modo mais simples e as pessoas todas pareciam mais confiáveis...
Mas, a vida é assim.. as pessoas mudam, a gente também.

O importante é que não se perca o real sentido dela (a vida) e que no fim, você possa dizer que tudo valeu a pena.

Apesar dos percalços, se eu morresse hoje, eu diria que tudo valeu a pena.